Parte 10: Como planejar sua carreira

Parte 10: Como fazer seu plano de carreira

NOTA: essa é uma tradução não oficial do Guia de Carreiras original e pode não corresponder a versão mais atualizada, a qual pode ser acessada em: https://80000hours.org/career-guide/career-planning/

Por Benjamin Todd · Última atualização Abril de 2017

Conteúdo

Combinação perfeita
As pessoas gostam de pensar que encontrar a carreira certa é como encontrar a “pessoa perfeita” para a vida. Não é.

Muitas vezes, as pessoas vêm até nós tentando descobrir o que devem fazer nos próximos dez ou vinte anos. Outros vêm até nós dizendo que querem descobrir “a carreira certa para eles”.

O problema com tudo isso é que, como vimos, seu plano certamente vai mudar:

  1. Você vai mudar – mais do que você pensa .
  2. O mundo vai mudar – muitos setores hoje em dia nem existirão em vinte anos .
  3. Você aprenderá mais sobre o que é melhor para você – é muito difícil prever em que você será bom.

De certo modo, não existe uma única “carreira certa para você”. Em vez disso, a melhor opção continuará mudando à medida que o mundo muda e você aprende mais. Desistir de planejar e de estabelecer metas provavelmente também não é inteligente.

Este é o paradoxo do planejamento – especialmente quando você está no início de sua carreira, a maioria dos ‘planos’ mudará radicalmente muito antes de serem concluídos, mas ainda assim nos beneficiamos de tê-los.

Considerando isso, como você deve fazer um plano de carreira?

Aqui explicaremos como partir de sua lista de opções, feita em artigo anterior, e então criar um plano específico e flexível, ao mesmo tempo reduzindo os riscos.

Tempo de leitura: 5 minutos. Ou pule para fazer seu próprio plano (ferramenta em inglês) .

Em resumo

Você pode fazer um plano flexível usando o plano A / B / Z:

  • O plano A é a primeira opção que você gostaria de seguir. Se você está relativamente confiante sobre o que você quer fazer no médio prazo, concentre-se nisso. Se você está mais incerto, tente experimentar várias opções diferentes antes de decidir qual deve seguir. Se você está muito incerto, planeje pesquisar mais enquanto constrói capital de carreira flexível.
  • Planos B são as alternativas promissoras que você pode adotar se o Plano A não ocorrer como deveria.
  • O plano Z é o seu substituto temporário para o caso de tudo dar errado – uma opção fácil de seguir. Ter um Plano Z te ajuda a assumir riscos maiores.
  • Revise seu plano pelo menos uma vez por ano – você pode usar nossa ferramenta .

O plano A / B / Z

Tim Cook, o CEO da Apple, fez um plano de carreira de 25 anos quando se formou na faculdade de administração. Veja o que aconteceu.

O fundador do LinkedIn, Reid Hoffman, escreveu um livro sobre por que pensar em sua carreira como se essa fosse uma startup. Os fundadores de uma Startup têm uma visão ampla para a empresa, mas enfrentam enormes incertezas nos detalhes de seu produto e estratégia. Para superar isso, eles testam muitas abordagens e gradualmente aprimoram seu plano ao longo do tempo.

Você enfrenta incertezas igualmente grandes em sua carreira, portanto, poderemos tomar emprestadas algumas das melhores práticas de empreendedorismo e aplicá-las à estratégia de carreira. Uma delas é o que Hoffman chama de “plano A / B / Z”. Nós consideramos essa ideia muito útil conforme demos conselhos individuais a centenas de leitores.

A ideia é definir um número de opções possíveis, classificadas de acordo com sua preferência. Também adicionamos alguns ajustes, dependendo de quão confiante você está sobre o que seria o melhor caminho. Você pode usar essa ferramenta para planejar alguns dos próximos anos, em qualquer etapa que esteja sua carreira.

1. Plano A – o seu cenário ideal

Você tem três opções principais para o seu plano A, dependendo de sua confiança em relação a seu objetivo a longo prazo.

Portanto, comece esboçando quais opções de longo prazo você gostaria de alcançar para usar o material anteriormente em nosso guia. “Longo prazo” significa nos próximos 5 a 20 anos – o período de tempo depende do que é apropriado para sua situação.

  1. Em quais áreas você gostaria de trabalhar? ex: saúde global, ciência de tomada de decisão (da parte 5 ).
  2. Quais cargos você gostaria de ter? por exemplo, operações em ONGs, ser um cientista de dados e ganhar para doar, estrela de reality show, presidente (veja as ideias na parte 6 ; e use a parte 8 para delimitar suas opções conforme suas aptidões).
  3. Que capital de carreira você gostaria de desenvolver? por exemplo, expertise em marketing, networking com pesquisadores biomédicos e assim por diante (da parte 7 e parte 9).

Classifique suas opções de longo prazo e escolha um dos três tipos de Plano A.

Opção 1. Se você está razoavelmente confiante em sua melhor opção a longo prazo, descubra como chegar lá.

Tente determinar a melhor rota para chegar em sua melhor opção. Você pode fazer isso conversando com as pessoas nesse campo e observando o que as pessoas bem-sucedidas fizeram no passado. Em particular, procure por exceções – como as pessoas alcançaram essas posições excepcionalmente rápido ou apesar de grandes contratempos? Além disso, verifique novamente os conselhos em nossos perfis de carreira e o artigo sobre como ser bem sucedido .

Ao mesmo tempo, procure opções que o levem em direção a seu objetivo e criem capital de carreira flexível ao mesmo tempo. Dessa forma, mesmo que o Plano A não funcione, você ainda terá opções.

Se você não tiver certeza sobre qual próximo passo seguir em sua opção de longo prazo, use nossa ferramenta de decisão .

Opção 2. Se você fez alguma pesquisa, mas ainda está incerto sobre sua melhor opção a longo prazo, faça um plano para testar suas 2 a 4 melhores opções nos próximos anos.

Por exemplo, se você estiver interessado em ser acadêmico, pesquisador de um centro de estudos (think tank) ou cientista de dados, mas não puder decidir entre eles, tente elaborar um plano em que possa experimentar todos eles. Isso pode significar trabalhar neles por um ou dois anos cada, fazendo estágios ou trabalhando meio período.

Também considere experimentar um coringa – uma opção fora do caminho usual – para evitar a rejeição prematura de outras opções.

Nós falamos sobre como explorar muitas opções enquanto minimizamos os custos em um artigo anterior.

Opção # 3. Se você está muito incerto sobre a sua melhor opção a longo prazo, faça mais pesquisas enquanto constrói capital de carreira flexível .

Se você está muito incerto e não fez muita pesquisa sobre sua carreira, então você pode reservar alguns meses para pensar sobre isso, ler mais e conversar com pessoas. Se você já trabalha ou é um estudante, você poderia fazer isso durante as suas férias. Você pode usar as dicas no artigo sobre aptidões . Seu plano A é “fazer mais pesquisas”.

Se você já pensou muito, então você só precisa se comprometer com uma opção por 1 a 3 anos, e reavaliar depois disso. Enquanto isso, faça o que for melhor para construir capital de carreira flexível e maximizar suas opções.

Para descobrir quais opções são melhores para capital de carreira flexível, use os conselhos em nossos artigos sobre capital de carreira e como ser bem-sucedido em qualquer trabalho. Depois filtre as opções usando nossos conselhos sobre aptidões. Por exemplo, isso pode significar trabalhar em consultoria, fazer pós-graduação em economia ou trabalhar em uma pequena empresa que permite que você experimente várias funções. Se você não tiver certeza sobre qual próximo passo tomar para obter capital de carreira, use nossa ferramenta de decisão.

Se você está no início de sua carreira, provavelmente estará fazendo isso ou seguindo a opção dois como seu Plano A. Não se preocupe, você não precisa já ter tudo resolvido agora.

2. Plano B – alternativas mais próximas

Essas são as opções que podem facilmente se tornar melhores do que o seu Plano A. Escrevê-las lhe ajudará a estar pronto para aproveitar novas oportunidades quando surgirem.

Para preparar seu plano B, se pergunte:

  1. Que outras boas opções eu poderia escolher?
  2. Quais são os obstáculos que eu provavelmente encontrarei com o plano A? Em seguida, pense no que você poderia fazer quando houver tais obstáculos.

Elabore duas ou três alternativas.

Por exemplo, se o seu plano é trabalhar com consultoria por dois anos e depois fazer uma pós-graduação, mas você está preocupado com a possibilidade de não conseguir um emprego de consultoria, liste algumas alternativas que você poderia tentar.

3. Plano Z – se tudo der errado, este é o seu substituto temporário

Às vezes você precisa correr riscos para ter um grande impacto. Seu Plano Z é o que você fará para mitigar o pior desses riscos.

Primeiro, esclareça qual é o pior cenário possível e identifique os piores riscos. É fácil ter receios vagos de “falhar”. De fato, pesquisas mostram que, quando pensamos em eventos ruins, trazemos à mente seus piores aspectos, ignorando todo o resto que permanecerá inalterado. Isso levou um ganhador do Prêmio Nobel, Daniel Kahneman, a dizer :

“Nada na vida é tão importante quanto você pensa que é, enquanto você estiver pensando sobre aquilo”

Muitas vezes, quando você para para pensar no pior cenário, você percebe que ele não é tão ruim assim. Em vez disso, os riscos que realmente importam são algo que poderia reduzir permanentemente sua felicidade ou seu capital de carreira , como se desgastar demais e ficar deprimido, ou arruinar sua reputação. Você também pode ter pessoas que dependem financeiramente de você. Fora esses, a maioria dos “fracassos” são apenas contratempos temporários que você poderá superar a longo prazo.

Segundo, há algo que você possa fazer para garantir que os riscos graves não aconteçam? Muitas pessoas pensam em desistentes de faculdades como Bill Gates como pessoas que correram altos riscos para ter sucesso. Mas Gates trabalhou em vendas de tecnologia por cerca de um ano enquanto estudava em Harvard e negociou um ano de licença para iniciar a Microsoft. Se tivesse fracassado, Gates poderia ter voltado a estudar ciência da computação em Harvard – na realidade, ele não teve quase nenhum risco. Normalmente, com um pouco de planejamento, é possível evitar os piores riscos do seu plano.

Em terceiro lugar, faça um plano para o que você faria se o pior cenário acontecer. Este é o seu Plano Z. Pode ser dormir no sofá de um amigo enquanto paga as contas através de aulas particulares ou trabalhando em um café; vivendo da poupança; ou voltando ao seu antigo emprego. Você provavelmente ainda terá comida, amigos e uma cama macia – condições melhores do que a maioria das pessoas enfrentou durante toda história passada.

Pode até significar algo mais aventureiro, como ensinar outros idiomas na Ásia – um trabalho surpreendentemente requisitado e pouco competitivo que permite que você aprenda sobre uma nova cultura.

Quarto, se neste momento os riscos ainda são inaceitáveis, então você pode precisar mudar seu plano A. Por exemplo, você pode precisar gastar mais tempo construindo um fundo de emergência.

Passar por esses exercícios torna o risco menos assustador e aumenta a probabilidade de você conseguir lidar com o pior, caso ele venha a acontecer.

Comprometa-se a rever seu plano

Seu plano deve mudar à medida que você aprende mais, mas é muito fácil ficar preso no caminho em que você já está. Não mudar de rumo quando existe uma opção melhor é um dos erros de decisão mais comuns identificados pelos psicólogos, e é chamado de “falácia dos custos irrecuperáveis” (sunk cost fallacy) ou “viés do status quo”.

Para ajudar a evitar esse erro, você precisa continuar revisando seu plano. Aqui estão algumas ideias:

  • Agende um momento para rever sua carreira em seis meses ou um ano. Fizemos uma ferramenta de revisão de carreira para facilitar isso. Faça as perguntas por si próprio e então tente justificar seu raciocínio para um amigo ou mentor. Outras pessoas são mais capazes de identificar a falácia dos custos irrecuperáveis e ter que justificar seu pensamento para outra pessoa demonstradamente reduz o grau de seu viés.
  • Definir pontos de check-in. Faça uma lista de quais sinais lhe diriam que você está no caminho errado e se comprometa a reavaliar sua rota se isso ocorrer. Por exemplo, publicar muitos artigos nas principais revistas é a chave para o avanço nas carreiras acadêmicas, então você pode se comprometer a reavaliar o caminho acadêmico se não publicar um determinado número de artigos até o final do seu doutorado.

Assim como um empreendedor o objetivo é continuar testando e melhorando seu plano ao longo do tempo.

Agora, você pode usar nossa ferramenta para criar seu próprio plano. Ela te guiará através de todos os passos acima.

Se você ainda não tem um plano: use essa ferramenta para elaborar seu plano

Ela verifica se você aplicou todas as principais lições do guia e lhe ajudará a criar seu plano A / B / Z.

Depois disso, siga para a parte 11: Todos os melhores conselhos sobre como conseguir um emprego