Parte 3: Como ter um impacto em qualquer trabalho

Parte 3:Não importa o seu emprego, aqui estão 3 maneiras, baseadas em evidências cientificas, de que qualquer pessoa pode ter um impacto real

NOTA: essa é uma tradução não oficial do Guia de Carreiras original e pode não corresponder a versão mais atualizada, a qual pode ser acessada em: https://80000hours.org/career-guide/anyone-make-a-difference/

 

Não importa qual carreira você escolher, qualquer um pode fazer diferença doando para caridade ou a partir do voluntariado. Infelizmente, muitas tentativas de fazer o bem desta maneira são ineficazes, e algumas na verdade causam danos.

Tomemos por exemplo a prática de skydiving patrocinado, que se tornou uma maneira popular de arrecadar dinheiro para caridade no Reino Unido. Todos os anos, milhares de pessoas recolhem doações para boas causas e, em seguida, pulam de aviões para chamar a atenção para qualquer instituição de caridade que eles tenham escolhido apoiar. Isso pode soar como um ganha-ganha: o arrecadador de fundos tem uma experiência única na vida enquanto arrecada dinheiro para uma causa digna de valor. O que poderia ter de mal nisso?

Bastante, na verdade. Um estudo de dois centros populares de pára-quedismo descobriu que, ao longo de um período de cinco anos (1991 a 1995), aproximadamente 1.500 pessoas saltaram de paraquedas para a caridade, e coletivamente arrecadaram mais de £ 120.000. Isso parece bastante impressionante até você considerar alguns problemas.

Primeiro, o custo dos saltos de para-quedas é subtraído das doações, então, das 120.000 libras arrecadadas, apenas 45.000 foram para as organizações.

Além disso, como a maioria dos pára-quedistas era de primeira viagem, eles sofreram um total combinado de 163 ferimentos, resultando em uma permanência hospitalar média de nove dias.

Para tratar esses acidentados, o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido gastou cerca de 610.000 libras. Isso significa que para cada £ 1 levantado para as instituições de caridade, o serviço de saúde público gastou cerca de £ 13. Ironicamente, muitas das instituições de caridade que foram apoiadas eram relacionadas à área da saúde. 1

Que tal voluntariado? O problema é que voluntários precisam ser gerenciados. Se voluntários não treinados usam o tempo de gerentes treinados, é bem fácil que eles custem mais à organização do que o valor que agregam a ela. A real razão pela qual muitos programas de voluntariado são mantidos é que os voluntários são mais propensos a doar no futuro. Quando a organização FORGE decidiu encerrar seu programa de voluntariado para ser mais eficaz, eles inadvertidamente provocaram uma grande queda nas doações.

Dito isso, em nossa pesquisa, descobrimos que qualquer universitário em um país rico pode fazer muito para melhorar vidas. E eles podem fazer isso sem mudar de emprego ou fazer grandes sacrifícios.

Nós vamos cobrir três exemplos: doar 10% para uma organização eficaz, defender causas importantes e ajudar os outros a serem mais eficazes.

1. Doando efetivamente

Como você pode escolher o emprego que você acha mais divertido e pessoalmente gratificante, e fazer uma boa quantidade de coisas boas?

Dê 10% de sua renda para as pessoas mais pobres do mundo. É simples assim.

Quanto bem as doações podem fazer?

Desde 2008, a GiveDirectly possibilita a entrega de dinheiro diretamente para as pessoas mais pobres da África pelo telefone celular.

Como vimos na primeira parte, quanto mais dinheiro você já tiver, menos qualquer dinheiro adicional melhorará sua vida. Por exemplo, nos EUA, a duplicação da renda é associada apenas a um ganho de meio ponto na satisfação com a vida, numa escala de um a dez.

Essas pesquisas foram replicadas em todo o mundo. Apresentamos exemplos no gráfico abaixo. (Veja mais detalhes sobre esta pesquisa .)

 

Stevenson, Betsey e Justin Wolfers. Bem-estar subjetivo e renda: Existe alguma evidência de saciedade? No. w18992. National Bureau of Economic Research, 2013 Link arquivado

Os pobres atendidos pela GiveDirectly no Quênia têm um consumo individual médio de cerca de 500 dólares por ano. 2 Este valor é baseado em quanto US$ 500 poderia comprar nos EUA, o que significa que leva em conta o fato de que o mesmo dinheiro compra mais coisas nos países pobres. Uma pessoa com diploma universitário nos Estados Unidos ganha, em média, uma renda anual individual de cerca de US$ 77.000, ou US$ 54.000 após impostos (valores para 2017). 3 Isso significa que um dólar fará cerca de 108 vezes mais bem se um universitário americano doá-lo a um queniano, em vez de gastá-lo consigo mesmo. 4

Se alguém que ganha esse nível médio de renda fosse doar 10%, ele poderia dobrar a renda anual de 11 pessoas que vivem em extrema pobreza, todos os anos. Ao longo de sua carreira, ele poderá ter um grande impacto positivo na vida de centenas de pessoas.

Grace, de 48 anos, é uma típica beneficiária de doações da GiveDirectly . Ela é uma viúva que mora com quatro filhos:

 

Eu gostaria de usar parte do dinheiro para construir uma casa nova, já que a minha está em uma condição muito ruim.
Em segundo lugar, eu gostaria de pagar para o meu filho ir estudar numa escola técnica…
A conquista de que tenho mais orgulho é que consegui educar meu filho até o colégio.
Minha maior dificuldade na vida é que eu não tenho uma fonte de renda adequada.
Meus objetivos atuais são construir uma latrina com fossa e cavar um poço, já que conseguir água é um problema muito grande.

A GiveDirectly conduziu um estudo aleatório controlado – EACs (randomized controlled trials – RCTs) de seu programa e descobriu que os receptores experimentaram reduções significativas na fome, no estresse e em outros fatores negativos durante anos após o recebimento das transferências. Estes resultados se somam à já substancial literatura existente que mostra que as transferências de dinheiro trazem benefícios significativos.

Quanto sacrifício isso envolverá?

Independentemente de qual carreira você escolher, você pode doar 10% de sua renda.

Normalmente, quando pensamos em fazer o bem com nossas carreiras, pensamos em caminhos tais como se tornar um professor ou funcionário de uma ONG. Muitas vezes estes profissionais ganham salários até 50% menores do que em empregos no setor privado, e ainda pode não estar alinhado com suas habilidades ou interesses. Doar 10% é, portanto, um sacrifício menor.

Além disso, como vimos em um artigo anterior do guia, uma vez que você ganhe mais de 40.000 dólares por ano, qualquer renda extra não afetará muito a sua felicidade, enquanto ajudar os outros doando à caridade provavelmente o fará mais feliz.

Para dar apenas um exemplo, um estudo descobriu que, em 122 de 136 países, para os participantes que responderam “sim” à pergunta “você doou para a caridade no mês passado?”, a satisfação com a vida era muito maior que para quem respondia não, numa proporção equivalente à se tivessem dobrado de renda. 5 Provavelmente parte da explicação disso é de que pessoas mais felizes doam mais, mas esperamos que parte do efeito também corra no sentido contrário.

(Não foi persuadido? Leia mais sobre se dar 10% vai te deixar mais feliz. )

Como ter um impacto maior do que o de um médico

A razão pela qual as doações podem ser tão eficazes é que é possível enviar seu dinheiro para as pessoas mais necessitadas do mundo, através das organizações mais eficazes. Portanto, embora muitas instituições de caridade não sejam eficazes, as melhores são.

E embora a GiveDirectly seja certamente uma organização eficaz, há outras que, segundo alguns especialistas, são ainda melhores. O principal avaliador de caridade independente, GiveWell , estima que a Against Malaria Foundation pode evitar uma morte para cada US$ 7.500 em doações que recebe, numa estimativa conservadora. 6 Além disso, também oferece outros benefícios que acompanham o tratamento da malária – como qualidade de vida em geral e aumento da renda – e isso causa mais efeitos em cascata ao longo do tempo.

Doar 10% para a Against Malaria Foundation, portanto, poderia salvar mais de uma vida por cada ano.

Esses tipos de programas de saúde comprovados e com boa relação custo-benefício oferecem uma oportunidade tão boa de fazer o bem que até mesmo os mais proeminentes críticos da caridade (aid sceptics) oferecem poucos argumentos contra eles.

Uma vida salva por ano equivaleria a 40 vidas salvas durante uma carreira de 40 anos. No artigo anterior , estimamos que um médico típico trabalhando em clínica médica salva cinco vidas ao longo de sua carreira. Sendo assim, ao doar 10%, você pode alcançar 8 vezes mais impacto.

E acabamos de usar o Against Malaria Foundation e a GiveDirectly para fornecer um “piso” concreto para o bem que você pode alcançar. Na verdade, pensamos que existem muitas organizações que são ainda mais eficazes, trabalhando em abordagens de maior alavancagem, como pesquisa e ativismo, ou em áreas menos convencionais, como pandemias. Nós escrevemos sobre essas áreas mais adiante no guia, e você pode ler mais sobre quais organizações têm o maior impacto em um artigo separado.

Se os 10% mais ricos da população mundial doassem 10% de sua renda, seriam US$ 3,5 trilhões por ano. 7 Apenas 4% disso seria suficiente para elevar todos no mundo acima da linha de pobreza de US$ 1,90 / dia. Poderíamos então também fornecer educação universal, duplicar os gastos com pesquisa científica, financiar um novo renascimento nas artes … e ainda teríamos muito dinheiro sobrando. 8

Como isso é possível?

É surpreendente que possamos fazer tanto bem enquanto sacrificamos tão pouco. Por que isso é possível?

Considere um dos gráficos mais importantes da economia, o gráfico da renda mundial:

 

Fonte: PovcalNet e Milanović 9

O eixo x mostra a porcentagem de pessoas no mundo que ganham aquele determinado nível de renda (conforme indicado pelo eixo y). Os rendimentos foram ajustados para indicar o quanto aquele valor comprará no país de origem da pessoa (ou seja, ajustados pela paridade de poder de compra). Se o mundo fosse completamente igual, a linha seria horizontal.

Para brasileiros, sabemos que nosso país não está entre os mais desenvolvidos, mas também não estamos na pior das situações, quando olhamos globalmente – além disso, existem pessoas com padrão de vida alto até nos países mais pobres, e o Brasil não é exceção. Na verdade, se você ganhar R$ 115.000 por ano, líquido de impostos, e não tiver filhos, então, globalmente falando, você faz parte do 1% .

Descubra quão rico você é usando esta calculadora rápida (que usa os mesmos dados que usamos no gráfico, ajustados pela inflação até 2013).

Esses números são aproximados, mas ainda assim, se você está lendo isso, é provável que você esteja naquele pico à direita do gráfico (e talvez até mesmo fora do gráfico), enquanto quase todo mundo no mundo está no pedaço plano no fundo que você dificilmente pode ver.

Não há motivo para ficar envergonhado com esse fato, mas isso enfatiza o quanto é importante pensar em como você pode usar sua boa condição para ajudar os outros. Se vivêssemos em um mundo mais igualitário e intuitivo, poderíamos nos concentrar apenas em ajudar as pessoas ao nosso redor e fazer nossas próprias vidas correrem bem. Mas acontece que temos uma oportunidade incrível de ajudar outras pessoas com pouco custo para nós mesmos – e seria uma vergonha terrível desperdiçá-la.

Tome uma atitude agora

Todos nós, no 80.000 horas, fomos tão persuadidos com esses argumentos que fizemos um voto de doar pelo menos 10% de nossa renda para as instituições de caridade mais eficazes do mundo, durante toda a vida. Nós fizemos isso através de uma organização chamada Giving What We Can, com quem somos parceiros. Nosso co-fundador, Will, na verdade, foi um pouco mais longe e prometeu doar qualquer renda que ele ganha acima de US$ 35.000 por ano para caridade.

Giving What We Can permite que você assuma uma promessa pública de doar 10% de sua renda para as instituições que você acredita serem mais eficazes. Eles também fornecem recomendações apoiadas por pesquisas sobre onde doar.

Você pode fazer essa opção em apenas alguns minutos. É provável que seja a coisa mais relevante que você pode fazer de imediato para fazer mais bem com sua vida.

FAÇA ESSE JURAMENTO AGORA

O voto não tem força jurídica, você pode escolher para onde vai o dinheiro, e se você é um estudante, só se compromete a doar 1%. Você se juntará a mais de 2.500 pessoas que prometeram mais de um bilhão de dólares em doações.

E se você ainda não está pronto, A Giving What We Can permite que você prometa 2% por um ano para ver como é antes de assumir qualquer compromisso de longo prazo: experimente doar . Se você quiser saber mais sobre como escolher uma instituição de caridade eficaz, leia nosso artigo .

2. E se você não quiser dar dinheiro? Como ajudar através de ativismo eficaz

Se você pertence a uma classe social mais rica, você provavelmente tem mais influência política que a média.

Vários assuntos importantes são questões políticas, como o comércio global, migração, mudança climática e política tecnológica. Então, se você preferir fazer algo além de dar dinheiro, pense em promover essas causas.

Inicialmente, éramos céticos de que uma pessoa pudesse ter influência real por meio de ativismo político mas, quando analisamos os números, mudamos de ideia.

Vamos dar o exemplo mais simples: votar em eleições. Vários estudos usaram modelos estatísticos para estimar as chances de um único voto determinar a eleição presidencial dos EUA. Como o sistema eleitoral americano é determinado no nível estadual, não individual, quem vive em um Estado que favorece fortemente um candidato não possui chance de alterar o resultado. Mas quem vive em um Estado disputado possui chances de alterar o resultado estimadas entre um em dez milhões e um em um milhão. Isso é muito mais do que suas chances de ganhar na loteria.

E lembre-se, o governo federal dos EUA é grande. Muito grande. Vamos imaginar que um candidato queria gastar 0,2% a mais do PIB em ajuda externa. Isso seria cerca de US$ 144 bilhões de ajuda externa extra ao longo de seu mandato de quatro anos. 10 Um milionésimo disso é de US$ 144.000. Então, votar pode ser o momento mais importante de um cidadão americano naquele ano. (Os números são semelhantes em outros países ricos – países menores têm menos em jogo, mas cada voto conta mais. Leia mais sobre essas estimativas).

O segredo da advocacia política é que, embora sua influência seja extremamente pequena, o que está em jogo é muito importante. Portanto, um único voto, uma carta para seu congressista, ou uma pergunta em uma prefeitura pode ter um grande impacto. Isso é ainda mais verdadeiro se você tiver o cuidado de se concentrar nos assuntos mais importantes, os quais abordamos no próximo artigo .

3. Faça o bem ajudando os outros a serem mais eficazes

Suponha que você não tenha dinheiro ou influência. E então? Uma opção é ir conseguir um pouco dessas duas coisas. Nós falaremos sobre como investir em você mesmo, não importa o emprego que você tenha, em um artigo posterior .

Além disso, você provavelmente conhece alguém que tenha alguma influência. Então você pode fazer a diferença ajudando-o a ser mais eficaz.

Por exemplo, se você pudesse permitir que uma outra pessoa desse 10% de sua renda para caridade, isso teria tanto impacto quanto fazer você mesmo. O mesmo se aplica à mobilização de apoio para outras causas importantes , como persuadir as pessoas a abandonar a carne de criação intensiva ou votar em uma eleição. Muitos de nossos leitores têm persuadido outros de coisas assim, liderando pelo exemplo.

Conhecemos pessoas que criaram uma doação automática de 1% de toda folha de pagamento na sua empresa e, no processo, arrecadou muito mais dinheiro para a caridade do que eles poderiam ter dado eles próprios. Conhecemos muitas pessoas que levantaram centenas de dólares para instituições de caridade eficazes doando seus presentes de aniversário .

O voluntariado pode ser eficaz, desde que você seja voluntário para organizações eficazes, e o faça de uma maneira que use suas habilidades, ou que o ajude a aprender a ser mais eficaz no futuro.

Ou considere Kyle, que se tornou assistente de um pesquisador que ele acha que está fazendo um trabalho que mudará o mundo. Se ele puder economizar mais tempo do pesquisador em comparação com o próximo melhor assistente, ele estará permitindo que o cientista realize mais pesquisas e também contribua para um trabalho que mudará o mundo.

Isso nos lembra uma história antiga (provavelmente fictícia) sobre uma vez em que o presidente John F. Kennedy visitou a NASA. Ao encontrar um faxineiro, Kennedy perguntou o que ele estava fazendo. O faxineiro respondeu: “Bem, senhor presidente, estou ajudando a colocar um homem na lua”.

Conclusão: como alguém pode fazer a diferença

Então, boas notícias: você não precisa pular de um avião para fazer o bem. De fato, há maneiras muito mais fáceis (e seguras) de ter um impacto muito mais efetivo.

Quanto mais afortunadas nossas posições no mundo, mais coisas podemos fazer para fazer a diferença sem sacrifícios significativos, quaisquer que sejam os trabalhos que façamos. Nós cobrimos três exemplos:

  1. Doar 10% para as pessoas mais pobres do mundo, ou outras organizações eficazes.
  2. Usando sua influência política, por exemplo votando.
  3. Ajudar os outros a ter um impacto.

Você pode querer considerar o voto de 10% agora.

Você pode querer considerar o voto de 10% agora.

FAÇA O VOTO AGORA

Ou tire um momento para refletir de que outra forma você pode causar um grande impacto com pouco sacrifício. Existem muitas outras opções.

E se você quiser fazer a diferença diretamente em sua carreira? Se você pode conseguir tanto com tão pouco sacrifício, então o que você poderia conseguir com todo o seu emprego poderia ser enorme. Isso é o que vamos cobrir nos próximos três artigos.

Leia também, em português:

Altruísmo Empolgado

Mitos sobre filantropia e Ajuda ao Desenvolvimento

 Apenas o começo — por Melinda Gates

O que lhe é demandado ?

Como permitir que o Altruísmo seja seu guia? – comentários sobre o vídeo de Matthieu Ricard

Bebes e Religião – Trecho do Livro Factfullness, por Hans Rosling