A lógica da despensa

A “lógica da despensa” é uma objeção comum ao argumento de que pessoas preocupadas com o bem-estar animal deveriam consumir menos ou nenhum produto animal. A afirmação é que, ao reduzir a demanda por carne, ovos ou leite, estas pessoas na realidade fazem com que menos animais venham a existir (Hanson 2002).

Várias respostas têm sido dadas a esta objeção. Primeiro, muitos dos animais criados em fazendas industriais têm um bem-estar negativo no geral. Portanto, fazer com que menos destes animais existam reduz o sofrimento animal geral. Segundo, criar animais domesticados reduz o número de animais selvagens que existem em um número maior, de modo que a pressuposição de que o veganismo faz com que menos animais venham a existir pode ser falsa. Finalmente, ainda que aumentar a demanda por produtos animais seja positivo no geral, há outros modos, modos mais custo-efetivos, de ajudar os animais e de melhorar o mundo (Matheny & Chan 2005).

No entanto, Carl Schulman (2013) ressaltou a tensão envolvida na promoção da mudança de dieta como um modo de reduzir o sofrimento de animais de pecuária e a expressão de preocupação pelo sofrimento animal selvagem. Se animais selvagens tendem a não levar vidas positivas no geral, e uma dieta vegana aumenta o número de animais no mundo, uma dieta vegana aumentará, em vez de diminuir, o número de seres vivendo vidas negativas no geral. Em parte por estas razões, alguns defensores dos animais na comunidade do altruísmo eficaz são a favor de métodos de reduzir o sofrimento animal que não envolvem mudança de dieta, como métodos de abate humanizados (Tomasik 2016).

Tradução: Luan Rafael Marques

Revisão: Fernando Moreno

Fonte: https://concepts.effectivealtruism.org/concepts/logic-of-the-larder/